RISCOS DO USO DE ANDADOR

O andador é popularmente conhecido e pode ser encontrado facilmente em lojas infantis. Muitos pais adquirem este equipamento acreditando que ele oferece segurança e facilita para o bebê começar a dar os primeiros passos. Porém, é necessário esclarecer sobre seus malefícios e alertar os pais, pois, seu uso pode ser perigoso e interfere no desenvolvimento motor.

No primeiro ano de vida do bebê ocorrem mudanças gradativas das habilidades locomotoras e manipulativas. Sendo assim, o processo de conquista da marcha independente necessita de desenvolvimento, estabilidade e acomodação do sistema neuromuscular infantil.

O desenvolvimento motor pode ser afetado porque o bebê não tem controle completo de tronco. Para que consiga andar, ele precisa passar por todas as etapas (sentar, engatinhar e ficar em pé) do desenvolvimento neurológico. Os bebês aprendem a ficar em pé ganhando força na musculatura e aprendendo a ter controle do deslocamento do centro de gravidade, coisas que não são possíveis com a utilização do andador. Portanto, o uso deste equipamento pode levar a alteração na marcha, posição incorreta dos pés com o chão, levando a alteração do alinhamento biomecânico dos membros inferiores e do corpo.

Alem disso, há o risco de queda, podendo causar lesões na cabeça, acidentes com objetos cortantes e queimaduras. Essa falsa sensação de segurança faz com que os responsáveis deixem o bebê sozinho para realizar alguma atividade rápida, e questão de minutos eles se aproximam de locais que antes não eram capazes e acidentes acontecem, pois não conseguem controlar a velocidade, direção e parada do andador.

Seguem algumas dicas para evitar o andador: procure outras técnicas para estimular a marcha como, uso de cercadinho, onde o bebê fica livre para se movimentar. No cercadinho, ele pode se apoiar nas redes, ficar em pé e dar alguns passinhos. Isso incentiva o andar e é muito mais seguro; Pode-se usar um lençol ou uma faixa larga envolvendo abaixo dos braços para estimular a marcha e deixar que o bebê conduza o movimento ou usar o bambolê; Caminhar com o bebê, segurando-o pelas mãos; Chamar o bebê a alguns metros dele para incentivá-lo a andar, com apoio lateral do sofá, para pegar seu brinquedo favorito.

Portanto, para melhor desenvolvimento de seu bebê, incentive e estimule-o andar sem auxílio do andado!

 

 

Patrícia Storolli

Fisioterapeuta do CrianSáude

Graduada em Fisioterapia e Especialização em Neurofuncional Adulto e Infantil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *