COMO LIDAR A MORDIDA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O comportamento de morder os amigos, normal entre os primeiros anos de vida da criança é algo que preocupa muito os pais e professores nas escolas de educação infantil. É importante reforçar que esse comportamento é natural e faz parte do desenvolvimento das crianças entre 1 e 3 anos aproximadamente.

A mordida reflete a descoberta do próprio corpo, auxiliando a criança no conhecimento de seu limite e o limite do outro.

Devemos pensar que esse comportamento é uma reação inata do ser humano. A criança precisa aprender que não é dessa forma que ele deve reagir frente algumas situações, como por exemplo, disputar um brinquedo ou demonstrar um descontentamento. Sentimentos como: irritação, sono, amor, carinho podem ser demonstrados através da mordida, sendo este comportamento facilitador da comunicação.

A criança como não consegue se expressar bem através da fala morde para expor o que está sentindo. É preciso lembrar que, embora muitas vezes seja difícil de entender, crianças pequenas não se comportam com maldade. Quando fazem algo errado, morder outra criança, por exemplo, normalmente é porque algo lhes causou medo, frustração, raiva, descontentamento, alegria etc.

Mas como reagir quando isto acontecer? Como prevenir?

É importante sempre observar se há disputa de atenção ou brinquedo, já que são características que facilitam esse comportamento..

A criança não deve ser rotulada como “a mordedora”. Se isso acontecer ela pode ter esse comportamento para chamar a atenção dos adultos. Neste caso o melhor a ser feito é distraí-lo com outras atividades motivadoras para não reforçar esse comportamento inadequado, ou seja, mudar o foco. Lembrando também que é uma fase do desenvolvimento que não deve ter rótulos.

Analise se não está nascendo dentes na criança, se estiver, existe uma grande probabilidade dela morder. Disponibilize sempre mordedores de

borracha higienizados e alimentos duros como cenoura crua, para saciar esse desconforto na boca.

Se a criança morder o colega, o adulto deve ser firme e demonstrar que não gostou dessa atitude. Fazer a criança adotar a postura de cuidar do amigo e do ferimento que ele proporcionou também pode trazer grandes efeitos.

Realmente é difícil entender quando as mordidas acontecem, principalmente quando o seu filho foi mordido. Muitas vezes, mães chegam a orientar os filhos a morder a criança que o mordeu, como forma de contestar aquele comportamento inadequado, assim reforçamos a possibilidade de resolver todas as suas frustrações através da mordida, contestando não verbalmente, mas fisicamente. O ideal é ensinar as crianças a utilizar a comunicação verbal: Não gosto quando faz isso; estou triste; ou qualquer forma verbalizada de expressar um sentimento, eles assimilaram da mesma maneira e resolveram o conflito sem gerar mais violência.

Não é fácil para os pais assimilarem essas mordidas sem mágoa, porem tão desagradável quanto, é a situação dos pais da criança que morde. O importante é ajudar a criança a enfrentar essa fase com naturalidade.

Crianças pequenas têm sentimentos tão fortes quanto adultos, e essas emoções podem até ser intensas demais. Nessa idade, a criança não consegue controlar tudo que sente. Por isso, ajudá-la a lidar com esses sentimentos distraindo, explicando e orientando é parte importante da função dos educadores e principalmente dos pais.

Eduarda Brucieri Ribeiro

Psicóloga do Criansaúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *